Anemia Ferropriva

Anemia Ferropriva
0 15 agosto 2016

A importância do diagnostico da ferropenia nos primeiros anos de vida.

O ferro é uma substância essencial para a formação das hemácias, que, por sua vez são responsáveis pela oxigenação de todo o organismo. A baixa concentração de ferro esta associada a desordem nutricional de maior prevalência no mundo, conhecida como anemia ferropriva ou ferropênica. Embora possa ocorrer em pessoas de qualquer idade e sexo, alguns grupos apresentam maior frequência a esse tipo de anemia, tais como crianças menores de cinco anos e mulheres em idade fértil.
Segundo dados do Ministério da Saúde, a prevalência de anemia ferropriva em crianças menores de cinco anos foi de 20,9%, e entre mulheres de 15 a 49 anos foi de 29,4%. E das regiões do país, o Nordeste foi o que apresentou maiores prevalências de anemia ferropriva entre crianças (25,5%) e a região Norte a menor (10,4%). Quando comparado a moradias, crianças de áreas rurais do país apresentaram menor prevalência de anemia que crianças de áreas urbanas, esse fato esta ligado a alimentação destas serem mais ricas em carnes de criação própria, verduras e vegetais sem adição de agrotóxicos ou conservantes.
O ferro desempenha funções importantes no organismo e pode ser encontrado sob duas formas: ferrosa (Fe++) ou heme, encontrado nas células sanguíneas e alimentos de origem animal, e férrica (Fe +++) ou não heme, encontrado em alimentos de origem vegetal, e ovos. Um pessoa saudável possui cerca de 3 a 5 gramas de ferro em seu organismo, sendo que 70 a 80% desse ferro desempenha funções metabólicas e oxidativas, e o restante encontra-se armazenado sob a forma de ferritina e hemossiderina no fígado, baço e medula óssea.
A baixa concentração de ferro na infância pode gerar grandes consequências, levando a dificuldades na aprendizagem da linguagem, distúrbios psicológicos e comportamentais, desenvolvimento do retardo psicomotor, e facilitando a ocorrência ou agravamento de infecções. Uma alimentação deficiente em qualidade e quantidade de ferro leva a um estado de desnutrição, porém a realização de medidas preventivas como o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida e a orientação adequada para uma dieta complementar de qualidade, podem minimizar esse problema.
Os sinais clínicos da deficiência de ferro não são de fácil identificação e por isso muitas vezes a anemia não é diagnosticada, portanto uma análise laboratorial se faz imprescindível para um diagnóstico preciso da doença. A realização de um hemograma e análise do esfregaço sanguíneo, fornece de forma quantitativa e qualitativa, dados importantes para investigação da maioria das doenças hematológicas, além disso, outros exames são usados para complementarem esse diagnostico, como a dosagem do ferro sérico, dosagem da ferritina sérica, transferrina e a capacidade total de ligação do ferro (CTLF).
Embora a anemia ferropriva seja um problema mundial, medidas preventivas se fazem necessárias, tais como programas de incentivo ao aleitamento materno, orientação a uma dieta complementar de qualidade, além da orientação a população sobre as causas e consequências dessa doença.

Posted in Artigos