Predisposição Genética à Obesidade

Predisposição Genética à Obesidade
0 23 janeiro 2015

PREDISPOSIÇÃO GENÉTICA
À OBESIDADE
GENOTIPAGEM DO POLIMORFISMO C825T NO GENE GNB3

O POLIMORFISMO C825T NO GENE GNB3
O polimorfismo C825T consiste na troca das bases c (citosina) por t (timina) na posição 825 do exon 10 do gene GNB3 que codifica a subunidade b3 da proteína g. Essa alteração resulta numa variante (gb3-s) onde há deleção de 41 aminoácidos do exon 9. Pessoas que apresentam essa alteração nos dois alelos, são homozigotas(825tt), e em apenas um alelo, são heterozigotas( 825ct) e ambos os genótipos carregam a predisposição , sendo mais acentuada em homozigotos( 825tt).

CORRELAÇÕES CLÍNICAS E PREVENÇÃO
Estudos independentes mostram que o genótipo 825tt do gene gnb3 contribui para um alto risco de hipertensão e obesidade em brancos e negros. A presença deste polimorfismo tem sido correlacionado ao aumento da massa corpórea e retenção de peso na população em geral e, principalmente, em mulheres após o primeiro parto. O polimorfismo afeta o ganho de peso em mulheres durante a gravidez. Esse polimorfismo pode ser identificado tanto em homens como em mulheres e afeta a obesidade em ambos.
Vários estudos indicam o papel farmacogenético do polimorfismo C825T, no que diz respeito a resposta farmacológica à sibutramina, um moderador muito utilizados em dietas convencionais. Pessoas respondem de formas diferentes a tratamentos semelhantes, e essa resposta pode ser devido aos polimorfismos que cada um carrega, neste caso, as pesquisas evidenciaram que os portadores do alelo 825C respondem melhor ao tratamento com a sibutramina do que as pessoas que carregam o alelo 825t.

IMPORTÂNCIA DO TESTE:
Cada vez mais a medicina preventiva tem sido utilizada para melhorar a qualidade de vida das pessoas. A identificação previa de uma alteração pode ajudar o médico na conduta clínica e evitar um desgaste futuro. Conhecendo individualmente cada caso, o médico pode indicar o tratamento mais adequado, seja por meio de medicamentos, hábitos alimentares ou estilo de vida. Mulheres sedentárias portadoras do alelo 825t ( homozigotas) possuem um risco até 7 vezes maior de ganhar peso excessivo na primeira gravidez e retê-lo depois.
Uma vez feito o exame e diagnosticado o genótipo, a prescrição de exercício físico adequado durante a gravidez, elimina esse risco, proporcionando mais tranquilidade à gestante. O mesmo principio se aplica às pessoas obesas em tratamento de obesidade . A identificação do genótipo servirá como guia para a prescrição de medicamentos, para uma maior eficácia do tratamento. Assim, a genotipagem do gene gnb3 é uma ferramenta útil na medicina preventiva, possibilitando a identificação precoce de indivíduos com risco de obesidade e hipertensão e consequentemente inúmeras patologias associadas, como doenças cardiovasculares, lipidemias e diabetes tipo 2, bem como adequação individualizada do tratamento.
Portadores do genótipo tt, possuem um risco sete vezes maior de ganhar peso excessivo e retê-lo e desenvolver hipertensão. Eles apresentam uma lipólise reduzida nos adipócitos.
Tratamento de obesos tt, cujo genótipo é também associado à hipertensão, deve evitar fármacos ( como a sibutramina) que aumentam a pressão arterial e a frequência cardíaca.

METODOLOGIAS: PCR RFLP
Reação em cadeia polimerase seguida de análise dos polimorfismos dos fragmentos de restrição do DNA genômico ( rflp).

INDICAÇÃO:
Pessoas com histórico de obesidade familiar, obesos, mulheres primíparas no inicio da gravidez e crianças

AMOSTRAS:
Swab bucal ( raspado da mucosa bucal)

PRAZO DE ENTREGA:
7 dias úteis

EXCEÇÃO: Descendentes asiáticos, pois a retenção de massa corporea nesta população não foi associada a esta mutação.

Posted in Artigos